Pesquisar este blog

Seguidores

domingo, 30 de novembro de 2008

Importantíssimo!!!!!!!

*DOZE CONSELHOS PARA TER UM INFARTO FELIZ !!!*
*Dr. Ernesto Artur - Cardiologista** *

*Quando publiquei estes conselhos 'amigos-da-onça' em meu site, recebi uma enxurrada de e-mails, até mesmo do exterior, dizendo que isto lhes serviu de alerta, pois muitos estavam adotando esse tipo de vida inconscientemente.**
*
*
*
*1.**Cuide de seu trabalho antes de tudo. As necessidades pessoais e familiares são secundárias.** *

*2.**Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder também aos domingos.** *

*3.**Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde.** *

*4.**Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe solicitarem.** *

*5.**Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias, conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc.** *

*6.**Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição tranqüila. Pelo contrário, não perca tempo e aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes.** *

*7.**Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis. Afinal, tempo é dinheiro.** *

*8.**Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você é de ferro. (e ferro , enferruja!!. .rs)** *

*9.**Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para ver se nada está errado. Delegar é pura bobagem; é tudo com você mesmo.** *

*10.**Se sentir que está perdendo o ritmo, o fôlego e pintar aquela dor de estômago, tome logo estimulantes, energéticos e anti-ácidos. Eles vão te deixar tinindo.** *

*11.**Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos.** *

*12.**E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração, meditação, audição de uma boa música e reflexão sobre sua vida. Isto é para crédulos e tolos sensíveis.** *

***Repita para si: Eu não perco tempo com bobagens.** *

*OS ATAQUES DE CORAÇÃO**

**Uma nota importante sobre os ataques cardíacos. Há outros sintomas de ataques cardíacos, além da dor no braço esquerdo(direito). Há também, como sintomas vulgares, uma dor intensa no queixo, assim como náuseas e suores abundantes.**

Pode-se não sentir nunca uma primeira dor no peito, durante um ataque cardíaco. 60% das pessoas que tiveram um ataque cardíaco enquanto dormiam, não se levantaram. Mas a dor no peito, pode acordá-lo dum sono profundo.

Se assim for, dissolva imediatamente duas Aspirinas na boca e engula-as com um bocadinho de água. Ligue para Emergência (193 ou 190) e diga ''ataque cardíaco'' e que tomou 2 Aspirinas. Sente-se numa cadeira ou sofá e force uma tosse, sim forçar a tosse pois ela fará o coração pegar no tranco; tussa de dois em dois segundos, até chegar o socorro.. NÃO SE DEITE !!!!

sábado, 22 de novembro de 2008

O Cesto e a Água

Dizem que isto aconteceu em um mosteiro chinês muito tempo atrás.
Um discípulo chegou para seu mestre e perguntou:

- Mestre, por que devemos ler e decorar a Palavra de Deus se nós não conseguimos memorizar tudo e com o tempo acabamos esquecendo? Somos obrigados a constantemente decorar de novo o que já esquecemos.

O mestre não respondeu imediatamente ao seu discípulo. Ele ficou olhando para o horizonte por alguns minutos e depois ordenou ao discípulo:

- Pegue aquele cesto de junco, desça até o riacho, encha o cesto de água e traga até aqui.

O discípulo olhou para o cesto sujo e achou muito estranha a ordem do mestre, mas, mesmo assim, obedeceu. Pegou o cesto, desceu os cem degraus da escadaria do mosteiro até o riacho, encheu o cesto de água e começou a subir de volta. Como o cesto era todo cheio de furos, a água foi escorrendo e quando chegou até o mestre já não restava nada.

O mestre perguntou-lhe:

- Então, meu filho, o que você aprendeu?

O discípulo olhou para o cesto vazio e disse, jocosamente:

- Aprendi que cesto de junco não segura água.

O mestre ordenou-lhe que repetisse o processo de novo. Quando o discípulo voltou com o cesto vazio novamente, o mestre perguntou-lhe:

- Então, meu filho, e agora, o que você aprendeu?

O discípulo novamente respondeu com sarcasmo:

- Que cesto furado não segura água.

O mestre, então, continuou ordenando que o discípulo repetisse a tarefa. Depois da décima vez, o discípulo estava desesperadamente exausto de tanto descer e subir as escadarias. Porém, quando o mestre lhe perguntou de novo:

- Então, meu filho, o que você aprendeu?

O discípulo, olhando para dentro do cesto, percebeu admirado:

- O cesto está limpo! Apesar de não segurar a água, a repetição constante de encher o cesto acabou por lavá-lo e deixá-lo limpo.

O mestre, por fim, concluiu:

Não importa que você não consiga decorar todas as passagens da Bíblia que você lê, o que importa, na verdade, é que no processo a sua mente e a sua vida ficam limpas diante de Deus

sábado, 15 de novembro de 2008

Reflexão

Pastor Gilberto Stêvão

O escrito do pastor Joel Marcos e dignos de reflexão e comentário, pois nos levar a pensar nos rumos que o mundo está tomando e o cumprimento das profecias bíblicas.

A mídia enfatiza o fato de Obama ser o primeiro presidente negro da América. O pastor Marcos demonstra que em menos de 50 anos dos americanos terem banido a Bíblia nas escolas do Estado, não permitindo sua leitura, nem permitindo a cruz ou qualquer símbolo dos cristãos nas salas de aula, alegando liberdade plena para todos. A nação Americana desmoronou-se, para sempre como uma nação cristã. Uma Pátria fundada sobre as bases da liberdade evangélica deixa para sempre seus fundamentos cristãos.

Daqui para frente não haverá mais o que detêm o anticristo! Todo ódio contra Cristo começará a se manifestar pelos judeus rejeitaram o seu messias; pelos mulçumanos que não aceitam que Deus tenha um Filho Unigênito; pelas religiões pagãs que não conhecem a Cristo, como Senhor; pelos ateus materialistas e evolucionistas que não aceitam o mundo como obra de um Deus Criador; pelos humanistas que vêem a redenção do homem pelo aperfeiçoamento do próprio homem.

Quando os mulçumanos vieram para a Inglaterra e para os Estados Unidos eram todos refugiados políticos, que pediam asilo para salvarem suas vidas e suas família do caos e da violência em seus países. A velha geração tem passado e seus filhos infiltraram-se nos poderem políticos e administrativos da Inglaterra para conseguir aprovação de leis e juizes que os julgassem por leis muçulmanas e não cristãs. Hoje na Inglaterra, se um muçulmanos mata sua mulher, porque ela não desejou viver mais com ele ou por qualquer outro motivo, este homem não será julgado criminoso, apenas usou de seus direitos de marido, pois tais atos e outros de violência contra a mulher não são crimes perante o Corão. Tal homem continuará livre para matar e fazer tudo desejar para escravizar suas mulheres (a poligamia é um direito dos homens, mas as adulteras devem ser rigorosamente punidas), pois a superioridade e domínio dos homens sobre as mulheres estão legitimados pelas leis coraonicas.

O Senhor Jesus, agora, espera de nós, como nação Brasileira e como Seu Povo que defendamos a Sua Palavra, e anunciemos a toda criatura até que Ele volte, ainda que isto signifique as nossas próprias vidas. A Cruzada de Billy Gram veio dar-nos uma mãozinha na evangelização, porque no fundo sabe que o tempo dos Estados Unidos findou. Você está pronto para pagar o preço como o povo americano pagou?

Nada Substitui a Benção do Senhor

Então, Elcana, seu marido, lhe disse: Ana, por que choras? E por que não comes? E por que está mal o teu coração? Não te sou eu melhor do que dez filhos? (1 Samuel 1.8).
Nessa passagem, lemos que Elcana declarou-se melhor do que dez filhos e que não entendia o motivo de Ana, sua esposa, chorar, não comer e estar com o coração triste.
O Senhor Deus tem um propósito nos dons que deu a cada um. Ana sabia que, por ser mulher, tinha nascido para gerar filhos; porém, era estéril. Naquela época, era permitido ao homem ter mais de uma esposa. Com sua outra mulher, chamada Penina, Elcana teve vários filhos, mas, com Ana, não teve nenhum. Por esse motivo, ela era constantemente fustigada por Penina. Então, Ana entristecia-se e chorava a cada dia por ser humilhada pela outra.
O choro ajuda a aliviar a alma, mas não traz resposta. Elcana, incomodado com as lágrimas de sua esposa, tentava tirá-la daquele estado, mas tal atitude não levava a lugar algum, pois quem sofre quer solução.
A falta de realização em qualquer setor da vida afeta todo o ser. O marido perguntou a Ana por que ela não comia, mas ela precisava mesmo era do alimento que produz fé. Esse, sim, tira qualquer um de uma situação embaraçosa.
Ajudamos muito quando transmitimos o recado de Deus, pois o consolo do homem é fraco e não tem o poder de resolver a crise em que alguém se encontra. Solução mesmo só conseguimos quando temos uma “reunião executiva” com o Senhor e, nela, abrimos o nosso coração e falamos tudo o que nos incomoda. Ao agirmos assim, Deus nos responde, confirmando que o pedido foi aceito.
Elcana ainda queria que Ana explicasse o motivo de o coração dela estar mal. Ora, ele, como sacerdote do lar, deveria ter buscado a ajuda do Senhor – como fez Abraão – e resolvido a situação. O chefe de família tem acesso direto a Deus em relação àquilo que oprime os seus. Como o cabeça do lar, cabe ao marido pleitear a causa de quem está sob a sua cobertura.
De nada adiantava ele ser carinhoso com Ana e achar que era melhor do que dez filhos. Ela queria sentir-se realizada. A mulher nasce para ser mãe, e o amor dos seus não supera essa sua missão. Ana fez o que era correto: entrou na presença do Senhor e derramou sua alma. Ao ver aquela mulher de fé diante de tamanha luta, Eli, o sacerdote, pensou que Ana estivesse embriagada. No entanto, ela estava buscando a bênção do Altíssimo, e, realmente, saiu vitoriosa. Foi assim que um grande homem de Deus veio a existir, pois esse primeiro filho que Ana e Elcana tiveram tornou-se, mais tarde, o conhecido profeta Samuel.
Quem entrar em oração decidido a resolver o problema terá a solução.
Em Cristo, com amor,
R. R. Soares

Deus Quer o Seu Coração

Gloriai-vos no seu santo nome; alegre-se o coração daqueles que buscam ao SENHOR (Salmo 105.3).
O Nome do Senhor tem a força de Deus na boca de todo aquele que crê. Neste Nome, entramos na presença do Altíssimo, amarramos e expulsamos os demônios, curamos os enfermos e vencemos qualquer batalha. O Espírito de Deus nos diz que devemos gloriar-nos nEle. Então, o coração de todos aqueles que O buscam deve alegrar-se.
Todo aquele que é aceito na família divina e usa o Nome do Senhor, com fé, descobre que Ele lhe dá a força necessária para vencer todas as batalhas. Como não vemos nada do mundo espiritual, não sabemos quantos inimigos o inferno envia para nos destruir. Mas, usando o Nome de Jesus, saímos vencedores (Salmo 18.3).
Entramos na presença do próprio Deus, ao invocarmos Seu Nome Santo, o qual, conforme declara Filipenses 2.10, é sobre todo o nome, para que [...] se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra (onde, no sentido figurado, estão Satanás e seus demônios). Não podemos brincar usando o Nome de Jesus. Ele é tão sagrado, que devemos fazer uso dEle com temor e tremor.
Com o poder que há nEle, amarramos e expulsamos os espíritos malignos e suas forças. Esse direito nos foi dado pela Palavra falada pelo Senhor Jesus (Marcos 16.17). Também com Ele realizamos as mesmas curas que o Mestre operava durante Seu ministério terreno e aniquilamos todo tipo de doença. Como no passado, podemos fazer surdos ouvirem, mudos falarem, cegos verem, paralíticos andarem e mortos ressuscitarem. Ainda hoje, o mesmo acontece na boca e no ministério de todo aquele que crê.
Quem entra em qualquer peleja, usando o Nome do Senhor, vê o inimigo sair derrotado. Assim, Davi enfrentou o gigante (1 Samuel 17.45), Paulo expulsou o demônio (Atos 16.16-18), e tantos outros obtiveram vitórias graças ao Nome de Deus, usado com fé e determinação. Perde aquele, porém, que faz uso de qualquer outro meio.
Somos convidados a nos gloriar no Senhor e a obter sucesso usando o Seu Nome. Ninguém se gloria em fracasso, mas na vitória. Com esse Nome em sua boca, você não conhecerá derrota, pois Ele operará do mesmo modo que operava na boca do Senhor Jesus. Desse modo, o coração de todos os que O buscam irá regozijar-se.
Em Cristo, com amor,
R. R. Soares

Perdão o Ato Mais Nobre

E, se pecar contra ti sete vezes no dia e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me, perdoa-lhe (Lucas 17.4).
Pecar é algo sério. Porém, mais sério ainda é negar o perdão. Não deve haver limites em perdoar. Se nós, sendo humanos, somos orientados a fazê-lo todas as vezes que alguém nos procura e confessa que agiu errado contra nós, quanto mais perdoará o Pai àqueles que forem a Ele e confessarem o erro. O perdão é o ato mais nobre que alguém pode praticar.
O pecado é algo que jamais deveríamos cometer, e suas conseqüências estão além da nossa compreensão. A pessoa que pratica a iniqüidade abre brechas para o diabo, o qual a tem nas mãos. Quando pecamos contra alguém, nós o magoamos e ferimos. Então, após termos cometido a ofensa, a decisão mais correta é procurá-lo e, com sinceridade, pedir-lhe desculpas.
Creio que, antes de procurarmos quem nos magoou, devemos acertar-nos com o Senhor, pois todo pecado é, a princípio, contra Ele. Quem mente peca contra a verdade; quem age mal peca contra a bondade; quem adultera peca contra a fidelidade, e assim por diante. Todas as virtudes são atributos divinos, e, se nós não as respeitamos, devemos, em primeiro lugar, pedir o perdão de Deus. Em seguida, temos de suplicar que Ele fale ao coração ferido que nos libere e nos dê sabedoria para fazer tal pedido.

Por outro lado, aquele que nos procura depois de acertar-se com o Senhor tem o direito de ser desculpado. A pessoa que nega o perdão deixa que o diabo a use e incorre em um erro maior; portanto, deve resolver-se com Deus e procurar quem teve a hombridade de lhe pedir o perdão e acertar-se com ele também. Para conceder perdão, não há limites.
Se, como falíveis que somos, o Senhor nos orienta a perdoar tantas vezes quantas o ofensor nos procurar, quanto mais Ele, o qual é infalível, perdoará àqueles que Lhe confessarem seus erros.
Quem perdoa se iguala a Deus nesse nobre ato. O Senhor garante que, após perdoar, não Se lembra mais dos nossos erros (Isaías 43.25). Portanto, perdoar significa esquecer a ofensa. Alguns, no entanto, objetam que é difícil ter sido passado para trás, ou dói ter sido traído por alguém em quem mais se confiou, e a ferida ainda não cicatrizou. Mas quem pensa assim se esquece de que o coração do Pai – que é amor – é muito mais sensível do que o nosso. Se confessarmos a Ele todos os nossos erros, por maiores que sejam, Ele é fiel e justo para nos perdoar [...] e nos purificar de toda injustiça (1 João 1.9). A maior garantia de que fomos perdoados é que Ele não Se lembra mais do erro confessado.
Em Cristo, com amor,
R. R. Soares