Pesquisar este blog

Seguidores

sábado, 15 de novembro de 2008

Perdão o Ato Mais Nobre

E, se pecar contra ti sete vezes no dia e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me, perdoa-lhe (Lucas 17.4).
Pecar é algo sério. Porém, mais sério ainda é negar o perdão. Não deve haver limites em perdoar. Se nós, sendo humanos, somos orientados a fazê-lo todas as vezes que alguém nos procura e confessa que agiu errado contra nós, quanto mais perdoará o Pai àqueles que forem a Ele e confessarem o erro. O perdão é o ato mais nobre que alguém pode praticar.
O pecado é algo que jamais deveríamos cometer, e suas conseqüências estão além da nossa compreensão. A pessoa que pratica a iniqüidade abre brechas para o diabo, o qual a tem nas mãos. Quando pecamos contra alguém, nós o magoamos e ferimos. Então, após termos cometido a ofensa, a decisão mais correta é procurá-lo e, com sinceridade, pedir-lhe desculpas.
Creio que, antes de procurarmos quem nos magoou, devemos acertar-nos com o Senhor, pois todo pecado é, a princípio, contra Ele. Quem mente peca contra a verdade; quem age mal peca contra a bondade; quem adultera peca contra a fidelidade, e assim por diante. Todas as virtudes são atributos divinos, e, se nós não as respeitamos, devemos, em primeiro lugar, pedir o perdão de Deus. Em seguida, temos de suplicar que Ele fale ao coração ferido que nos libere e nos dê sabedoria para fazer tal pedido.

Por outro lado, aquele que nos procura depois de acertar-se com o Senhor tem o direito de ser desculpado. A pessoa que nega o perdão deixa que o diabo a use e incorre em um erro maior; portanto, deve resolver-se com Deus e procurar quem teve a hombridade de lhe pedir o perdão e acertar-se com ele também. Para conceder perdão, não há limites.
Se, como falíveis que somos, o Senhor nos orienta a perdoar tantas vezes quantas o ofensor nos procurar, quanto mais Ele, o qual é infalível, perdoará àqueles que Lhe confessarem seus erros.
Quem perdoa se iguala a Deus nesse nobre ato. O Senhor garante que, após perdoar, não Se lembra mais dos nossos erros (Isaías 43.25). Portanto, perdoar significa esquecer a ofensa. Alguns, no entanto, objetam que é difícil ter sido passado para trás, ou dói ter sido traído por alguém em quem mais se confiou, e a ferida ainda não cicatrizou. Mas quem pensa assim se esquece de que o coração do Pai – que é amor – é muito mais sensível do que o nosso. Se confessarmos a Ele todos os nossos erros, por maiores que sejam, Ele é fiel e justo para nos perdoar [...] e nos purificar de toda injustiça (1 João 1.9). A maior garantia de que fomos perdoados é que Ele não Se lembra mais do erro confessado.
Em Cristo, com amor,
R. R. Soares

Nenhum comentário: