Pesquisar este blog

Seguidores

sábado, 12 de junho de 2010

Porque Devemos Apoiar os Judeus Messiânicos?

Inicialmente cito algumas informações a respeito das atividades de diversos grupos de judeus messiânicos em Israel:

O movimento judaico messiânico e o alvo de Deus

Atualmente pode-se observar um movimento geral em direção ao Messias que está voltando – no fim "dos tempos dos gentios", nos quais "Jerusalém será pisada por eles" (Lc 21.24), até que "haja entrado a plenitude dos gentios" (Rm 11.25-26). Cada vez mais judeus em Israel e também na Diáspora compreendem: Não basta apenas voltar para a terra dos pais, para Sião, mas é preciso retornar ao Deus dos pais e esperar o Seu reino segundo a promessa bíblica. Eles sabem que ainda haverá as "dores de parto", "as dores do Messias". Eles sabem da ameaça final à sua existência e aproveitam o tempo de paz relativa até então para testemunhar a respeito do Jesus crucificado, ressurreto, e cuja volta é iminente...

O número de judeus messiânicos e suas igrejas, que está crescendo constantemente em Israel e em todo o mundo no fim do nosso século, é um sinal dos tempos finais da mesma forma como a volta para a terra há 100 anos e a criação do Estado há 50 anos. (Ernst Schrupp, 1/1998)

1. Devemos apoiar os judeus messiânicos porque eles também são judeus

Se a promessa de Deus feita a Abraão: "Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra" (Gn 12.3), refere-se à descendência de Abraão, portanto, ao povo judeu, então não devemos desconsiderar os judeus messiânicos. Pois justamente eles são judeus no sentido literal, que não perderam a sua nacionalidade nem a sua identidade judaica. Pelo contrário! Em seu livro "Jesus, o Messias", Arnold Fruchtenbaum cita vários judeus crentes messiânicos. Um dentre eles testemunha:

Comecei a valorizar minha educação judaica e minha herança judaica de maneira nova. Pela primeira vez na minha vida, elas começaram a ter relação com os dias de hoje. Os personagens do passado ficaram vivos para mim, quando comecei minha nova vida. O Messias de Israel realmente havia chegado.

2. Devemos apoiar os judeus messiânicos porque eles são o "verdadeiro" Israel

Em Romanos 9.6-7 está escrito: "E não pensemos que a palavra de Deus haja falhado, porque nem todos os de Israel são, de fato, israelitas; nem por serem descendentes de Abraão são todos seus filhos; mas: Em Isaque será chamada a tua descendência". Mas isso não significa, de maneira nenhuma, que também o restante de Israel não seja Israel de fato. Entretanto, é feita uma diferença entre o Israel segundo a carne, isto é, os descendentes naturais de Jacó e Abraão, e os israelitas que pela fé tornaram-se adicionalmente filhos espirituais. Lemos em Gálatas 3.7: "Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão."

Em Romanos 2.28-29 temos uma afirmação notável, que não devemos omitir: "Porque não é judeu quem o é apenas exteriormente, nem circuncisão a que é somente na carne. Porém judeu é aquele que o é interiormente, e circuncisão, a que é do coração, no espírito, não segundo a letra, e cujo louvor não procede dos homens, mas de Deus." Isso significa que o verdadeiro judaísmo não é uma questão de culto exterior ou de observância exata de leis e preceitos, mas uma atitude do coração transformada pelo novo nascimento. Os judeus messiânicos experimentaram a "circuncisão do coração", e por isso são judeus não somente segundo a carne, mas também segundo o espirito. Se, pois, abençoamos decididamente todo o Israel, se amamos o judaísmo e reconhecemos os judeus como o povo escolhido de Deus, quanto mais temos o dever de considerar de modo especial os judeus messiânicos!

3. Devemos apoiar os judeus messiânicos porque o cristianismo teve sua origem no judaísmo

O cristianismo começou por meio de judeus messiânicos crentes. Os apóstolos, que espalharam o Evangelho por todo o mundo, o que levou ao surgimento do cristianismo (At 11.26), foram judeus sem exceção. Também os cerca de 120 sobre os quais desceu o Espírito Santo no dia de Pentecostes, eram todos judeus (At 1.15; 2.1ss). E os primeiros três mil, que se converteram através da pregação de Pedro, também foram judeus (At 2.39-41). Somente a partir de Atos 10 o Evangelho passou também para as nações, quando Cornélio e sua casa se converteram em Cesaréia.

Em Efésios 2.20 está escrito claramente que os crentes são "edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Jesus Cristo, a pedra angular." Os profetas creram antecipadamente no Messias, olhando adiante, os apóstolos viram o próprio Messias e pregaram o Seu Evangelho. Não é este um motivo importante para apoiar os judeus crentes em Jesus?

4. Devemos apoiar os judeus messiânicos porque pela fé em Jesus fomos unidos com eles e eles são nossos irmãos

Um mistério do Evangelho é que as pessoas dentre os gentios que crêem no Senhor Jesus se tornaram um com os judeus crentes no Messias e formam um corpo. Na Sua inefável sabedoria, Deus criou algo totalmente novo por meio do Evangelho de Jesus Cristo, isto é, formou uma Igreja de judeus e gentios. Efésios 3.1-6 fala disso: "Por esta causa eu, Paulo, sou o prisioneiro de Cristo Jesus, por amor de vós, gentios, se é que tendes ouvido a respeito da dispensação da graça de Deus a mim confiada para vós outros; pois, segundo uma revelação, me foi dado conhecer o mistério, conforme escrevi há pouco, resumidamente; pelo que, quando ledes, podeis compreender o meu discernimento do mistério de Cristo, o qual, em outras gerações, não foi dado a conhecer aos filhos dos homens, como, agora, foi revelado aos seus santos apóstolos e profetas, no Espírito, a saber, que os gentios são co-herdeiros, membros do mesmo corpo e co-participantes da promessa em Cristo Jesus por meio do evangelho" (compare também Ef 2.14-16; 1 Co 12.13). Agora não existe mais diferença entre judeu ou gentio para aqueles que se tornaram crentes no Senhor Jesus Cristo, em Cristo estamos inseparavelmente unidos: "porque todos quantos fostes batizados em Cristo, de Cristo vos revestistes. Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos sois um em Cristo Jesus" (Gl 3.27-28; compare também Rm 10.12; Cl 3.11). Como nos tornamos dessa maneira um corpo com os judeus messiânicos, deveríamos encarar fraternalmente a eles e ao seu ministério, pois está escrito: "Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé" (Gl 6.10).

5. Devemos apoiar os judeus messiânicos porque a Bíblia o ordena

Lemos em Romanos 15.26-27: "Porque aprouve à Macedônia e à Acaia levantar uma coleta em benefício dos pobres dentre os santos que vivem em Jerusalém. Isto lhes pareceu bem, e mesmo lhes são devedores; porque, se os gentios têm sido participantes dos valores espirituais dos judeus, devem também servi-los com bens materiais." O apóstolo Paulo louva o ato dos crentes dentre os gentios da Macedônia e Acaia, que levantaram uma coleta em benefício dos "santos que viviam em Jerusalém" e os serviram com bens materiais. Esses "santos que viviam em Jerusalém" eram judeus crentes em Jesus, que estavam em grandes dificuldades. Adicionalmente, Paulo ainda menciona a responsabilidade dos crentes dentre os gentios para com seus irmãos judeus e os descreve como seus "devedores". A "Bíblia Viva" diz: "Porque, como vocês sabem, os cristãos da Macedônia e da Acaia tiraram uma coleta para os de Jerusalém, que estão passando dificuldades. Eles ficaram muito contentes em fazer isso, pois sentem que têm uma verdadeira dívida para com os cristãos de Jerusalém. Por quê? Porque as notícias a respeito de Cristo lhes chegaram através da igreja de Jerusalém. Visto que eles receberam deles esta magnífica dádiva espiritual do Evangelho, sentem que o mínimo que podem fazer em retribuição é dar-lhes alguma ajuda material." Não devemos eximir-nos dessa grande responsabilidade e deveríamos contribuir para que a Igreja messiânica em Israel possa atuar de maneira abençoada.

6. Devemos apoiar os judeus messiânicos porque eles têm as melhores condições de ajudar seu próprio povo

Fritz May escreve sobre os judeus messiânicos:

A maior parte dos judeus messiânicos em Israel é de sionistas ardentes e cidadãos cientes da sua responsabilidade, favoráveis a Israel, embora não aprovem tudo o que acontece na vida do seu povo. Mas eles crêem nas promessas proféticas da Bíblia para seu povo e sua terra.

A seguir ele cita um líder judeu messiânico em Israel:

"Eu sou um sionista. Amo meu país e defendo todos os seus direitos, exigências e reivindicações... Em todo o mundo, judeus messiânicos se preocupam em promover o bem-estar de seu povo".

Os judeus messiânicos são os que mais podem fazer pelo seu povo. Eles crêem no cumprimento das profecias bíblicas em nossos dias e vêem como sua tarefa semear de muitas maneiras a boa semente da Palavra de Deus. Assim eles certamente contribuem para que em Israel – mesmo depois do arrebatamento da Igreja – ainda muitos se convertam ao Messias. Talvez eles até estejam lançando a semente para os 144.000 judeus selados de Apocalipse 7. Eles oram pelo seu povo, como nenhum outro israelita poderia fazer melhor, e também são ativos no campo social. Pela sua presença, eles são uma grande bênção para a terra e para o povo de Israel. Infelizmente ouve-se que eles sofrem cada vez mais pressões. Tanto mais deveríamos apoiá-los em oração e fraternidade.

7. Devemos apoiar os judeus messiânicos, nossos irmãos judeus, porque o próprio Messias no qual eles crêem é judeu

Romanos 9.5 diz a respeito: "...e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre. Amém." Se, como cristãos, estamos ao lado de Jesus e nos chamamos irmãos e irmãs, também devemos estar ao lado daqueles que Jesus chama de Seus irmãos e amigos. Não eram judeus que criam em Jesus a quem Ele chamou de Seus amigos? Sim, pois é o que está escrito em João 15.15: "Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer." E se o Senhor Jesus diz: "Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes" (Mt 25.40), devemos observar que Jesus chamou de irmãos em primeiro lugar os que criam nEle, o que se deduz claramente de Mateus 12.48-50, 28.10 e Hebreus 2.11.

Resumindo: Devemos apoiar toda a casa de Israel, pois ela tem promessas permanentes e que se cumprirão em breve. Israel foi e continua sendo o povo escolhido de Deus, e nós temos o dever de abençoá-lo. Mas dele fazem parte, de modo especial, os judeus messiânicos. (Norbert Lieth - http://www.chamada.com.br)

Nenhum comentário: